Sagrada Família

A meta do nosso Instituto Hesed, de levar os irmãos e irmãs à busca da união com Deus, transborda também em direção às famílias. Deus inspirou às nossas fundadoras um grande amor aos mistérios da Infância de Jesus e da sua vida escondida na casa de Nazaré.

“Que Nazaré nos ensine o que é a família, sua comunhão de amor, sua beleza simples e austera, seu caráter sagrado e inviolável; aprendamos de Nazaré o quanto a formação que recebemos é doce e insubstituível: aprendamos qual é sua função primária no plano social.”

(Papa Paulo VI, alocução de 05/01/1964, em Nazaré)

Hesed é misericórdia, compaixão, amor. Assim, as famílias devem ser as escolas onde nos formamos no amor a Jesus e aos irmãos. Como transbordar deste amor, alguns de nossos leigos consagrados terceiros, sentindo o apelo de Deus, deram início a este grupo, que é mais um presente de Deus à sua Igreja por meio do carisma Hesed.

O Grupo Sagrada Família é um grupo de leigos, formado por famílias que buscam, a exemplo de Jesus, Maria e José, viver a santidade em seus lares. São casais que, tendo recebido o sacramento do Matrimônio, renovam a sua aliança com Cristo e aprendem com o Espírito Santo a ordenar o amor ao cônjuge e aos filhos, e a zelarem uns pelos outros.

As experiências de vida e de oração são partilhadas com o intuito de se ajudarem e alcançarem juntos o crescimento na Fé. Conscientes do papel que as famílias representam na sociedade e das lutas que são atualmente travadas para se preservar os valores cristãos no matrimônio e na criação dos filhos, os casais percebem quão importante é resgatar a igreja doméstica (cf. Lumen Gentium 11), sua missão procriadora, de garantir o bem dos cônjuges e evangelizadora.

Vivenciando os carismas do Instituto, sobretudo a vida cotidiana de oração e a constância no perdão e na caridade, essas famílias buscam alcançar o fortalecimento espiritual e a comunhão com o amor de Deus, para que possam servi-Lo como membros desta comunidade e propagadores do Amor Hesed nos seus lares e no mundo. Seguindo a inspiração de São João Paulo II, que relaciona o Hesed (amor e misericórdia) ao sacramento do matrimônio:

“A comunhão de amor entre Deus e os homens, conteúdo fundamental da Revelação e da experiência de fé de Israel, encontra uma sua significativa expressão na aliança nupcial, que se instaura entre o homem e a mulher. É por isto que a palavra central da Revelação, ‘Deus ama o seu povo’, é também pronunciada através das palavras vivas e concretas com que o homem e a mulher se declaram o seu amor conjugal. O seu vínculo de amor torna-se a imagem e o símbolo da Aliança que une Deus e o seu povo.” (São João Paulo II, Familiaris consortio, 12)