Espiritualidade Carmelitana

“Ora, não há maior grandeza para a alma do que ser igualada a Deus. Por isso, ele se serve somente do amor da alma, pois é próprio do Amor igualar o que ama com o objeto amado.” (São João da Cruz)

Identificados com a espiritualidade carmelitana, buscamos atingir a união mais íntima e perfeita com Deus pela vivência dos pontos do carisma (oração, adoração, contemplação, expiação, celebração, ação de graças e missão) e atrair as almas que nos são confiadas, especialmente as sacerdotais, a este mesmo fim, seguindo os passos de Santa Teresinha: “Assim é minha oração. Peço a Jesus me atraia às chamas de seu amor, me una tão estreitamente a Ele, que seja Ele quem vive e atua em mim. Noto que quanto mais o fogo do amor me abrasar o coração, tanto mais exclamarei: Atraí-me! – tanto mais, também, as almas que se achegarem de mim correrão lépidas ao odor dos perfumes de seu Bem-Amado, pois a alma abrasada de amor não consegue permanecer inativa.”.

Comovidos como Santa Teresa de Jesus, com a vida da Igreja, suas dores, a nova dilaceração de sua unidade e, de modo especial, as profanações da Eucaristia e do sacerdócio, assumimos como objetivo primordial a reparação pelos sacerdotes: tanto o fortalecimento dos sacerdotes bons e santos, quanto o amparo e a proteção daqueles que se encontram em perigo e o resgate dos caídos. Para alcançar esta reparação com, por e em Jesus Cristo, unidos a Santíssima Virgem, São José e os Santos Anjos, oferecemo-nos, com Santa Teresinha e Santa Faustina, como vítimas de holocausto ao Amor Misericordioso de Deus, não contando em nada com nossas forças; pois sabemo-nos pequenas e pobres; o que temos é uma esperança cega na Misericórdia de Deus a qual cantaremos eternamente.